Os melhores museus de Berlim

Berlim é uma cidade linda e super moderna e, além disso, com o perdão do clichê, um verdadeiro museu a céu aberto. Para os mais atentos, é possível ver fragmentos da sua história em cada esquina. Quando decidimos  nosso roteiro de viagem, uma das expectativas mais marcantes para mim era a possibilidade de visualizar os vestígios de  tudo que já havia lido nos livros de história sobre aquela cidade. Afinal, estaríamos diante de um dos principais palcos da Segunda Guerra Mundial e da Guerra Fria, considerando o Muro de Berlim.

Muro de Berlim

Chegamos numa madrugada gelada de dezembro e no caminho para o Hotel, olhando para o termômetro digital no painel do carro que marcava 5°C, sabia que a alternativa mais sensata a se fazer seria uma programação “indoor”, visto que nas ruas geladas de Berlim a sensação térmica chegava a -7°C, temperatura que faz qualquer tupiniquim gelar, literalmente.

Assim, decidimos unir a fome com a vontade de comer e, na manhã seguinte, já partíamos para desbravar a cidade com uma programação voltada para visitas aos principais museus.

Portão de Brandemburgo em Berlim

A alusão aos acontecimentos que marcaram a história da Alemanha e que transformaram a legislação mundo afora sobre direitos humanos estão por toda a parte de Berlim, distribuídos entre cada marca da guerra, preservada nos muros e monumentos, seja por vestígios de projéteis balísticos ou memoriais em homenagem às vítimas.

Uma cidade que conta com atrativos lindíssimos como o Portão de Brandemburgo, o Memorial aos Judeus Mortos na Europa Holocaust-Mahnmal (Memorial do Holocausto), a Catedral Luterana, o Muro de Berlim, a  Siegessäule (Coluna da Vitória), dentre tantos outros, pode ser considerada um verdadeiro monumento em si mesma.

O Memorial do Holocausto em Berlim

No entanto, Berlim é tão rica em dezenas de museus renomados e de reconhecimento internacional – com acervos que remetem desde à Antiguidade até a História Contemporânea – que não pudemos deixar de fora um tour por essa fantástica viagem no tempo que a cidade proporciona.

Visitamos vários museus nos diversos cantos da cidade e aqui fizemos um breve resumo dessa prazerosa experiência. Mas também publicaremos uma série de posts com informações detalhadas sobre cada um deles ao longo das próximas duas semanas. 

Ilha dos Museus

Pra começar, se você procura comodidade, a Ilha dos Museus te dá uma ampla viagem pela história mundial com cinco museus reunidos em um só lugar: Bode-Museum, Pergamonmuseum, Neues Museum, Altes Museum e Alte Nationalgalerie. A área é considerada patrimônio cultural mundial pela Unesco. A entrada de todos os museus é paga. Os preços variam entre 8 e 12 euros e a melhor saída é comprar o Cartão Ilha dos Museus que dá entrada a todos eles e custa apenas 21 euros. Dá para comprar antecipado pela plataforma da Ticketbar aqui no blogevitar filas. É só começar a jornada cedo (abrem 10h) que terá tempo de conhecer todos (fecham às 18h).

Se preferir, também há o Berlin City Pass, que dá acesso a todos os museus da ilha e a outras tantas atrações espalhadas pela cidade, além da gratuidade nos ônibus e trens. O valor varia de acordo com a quantidade de dias que você optar. 

Bode Museum

Começamos nosso tour pelo Bode Museum, que fica no extremo norte da ilha, às margens do rio Spree. É um prédio grandioso, em arquitetura barroca. Em seu acervo, destacam-se coleções de esculturas que impressionam logo na chegada ao hall de recepção. Obras que remetem desde o período medieval europeu até o século XVIII. Outro no acervo impressionante no Bode Museum, é a coleção numismática que conta com milhares de objetos em sua maioria moedas e medalhas dos mais variados períodos e países mundo afora. O ingresso custa 10 euros e pode ser adquirido antecipadamente aqui. A entrada está incluída no Berlin City Pass.

Veja mais fotos e relato completo da nossa visita ao Bode Museum

Pergamonmuseum

Tido como a estrela da Ilha dos Museus, o Pergamonmuseum tem fama internacional e é, de longe, o mais visitado dos cinco museus da ilha. O recorde se explica pelo acervo com peças monumentais que abriga verdadeiros tesouros da Antiguidade de valor cultural imensurável. Meu conselho é que se você for à Ilha dos Museus, comece sua expedição pelo Pergamonmuseum e gaste pelo menos 3h do seu tempo explorando esse fantástico espaço cultural. Para abrigar sua monumental coleção, o Museu Pergamon foi dividido e organizado em três distintas alas: a de coleção de Antiguidades Clássicas, o Museu de Arte Islâmica e o Museu do Antigo Oriente Médio. O ingresso custa 12 euros e pode ser adquirido antecipadamente aqui. A entrada está incluída no Berlin City Pass.

Veja mais fotos e relato completo da nossa visita ao Pergamonmuseum

Neues Museum

Também localizado na Ilha dos museus, no centro de Berlim, o Neues Museum não tem tanta imponência na parte externa como o Bode-Museum. Tem uma fachada mais simples, mas o seu conteúdo explica o motivo de ser o segundo museu mais visitado da cidade, perdendo apenas para o Museum Pergamon. O museu mantém o seu acervo original com materiais que remetem à Antiguidade Clássica, Pré-História e História Antiga. A principal atração do museu é o busto da raínha do Egito, Nefertiti, em cores ainda originais e sem restauração. Uma relíquia de beleza paralisante. O ingresso custa 12 euros e pode ser adquirido antecipadamente aqui. A entrada está incluída no Berlin City Pass.

Veja mais fotos e relato completo da nossa visita ao Neues Museum

Museu Judáico

O Museu dos Judeus foi aberto em 2001 e já é um dos museus mais visitados da cidade. Ao contrário do que se pensa, não é um recinto de memórias tristes atribuídas somente ao Holocausto. Lógico que as repartições atribuídas aos acontecimentos da Segunda Guerra causam um certo arrepio e perturbação. No entanto, o museu conta a história do povo judeu remontando dois milênios de história judaico-alemã e a relação entre judeus e não judeus nos altos e baixos dessa relação histórica. O ingresso custa 8 euros. A entrada está incluída no Berlin City Pass.

Veja mais fotos e relato completo da nossa visita ao Museu Judáico

Checkpoint Charlie

Para os interessados em Guerra Fria, o Museu Checkpoint Charlie talvez seja o mais interessante de Berlim. No local há um vasto arsenal de recortes históricos da imprensa da época, muitos objetos e ainda relatos sobre as estratégias usadas pelos alemães nas tentativas de transpor o Muro de Berlim do lado ocidental para o oriental e vice versa. É uma das atrações mais populares da cidade sendo um dos museus mais visitados por turistas.  O ingresso custa 12.50 euros.  A entrada está incluída no Berlin City Pass.

Veja mais fotos e relato completo da nossa visita ao Museu Checkpoint Charlie (breve! 01/06)

Museu da História Alemã

Se você se interessa por um resumo da história da Alemanha e de seu povo, o Deutsches Historisches Museum (Museu Histórico Alemão) é, com certeza, o melhor lugar do mundo para ter acesso aos vestígios históricos dessa importante civilização. Cobrindo mais de 2000 anos de história, a exposição permanente conta com mais de 8000 objetos arrumados em ordem cronológica nas várias seções temporais da história alemã. Desde Carlos Magno, Idade Média, invasões napoleônicas, mudanças nas fronteiras geográficas e formação do país. O ingresso custa 8 euros.

Veja mais fotos e relato completo da nossa visita ao Museu da História Alemã (breve! 03/06)

Você já visitou algum museu em Berlim que acha que precisa estar nessa lista dos melhores? Conta aqui para a gente!

* Ricardo Moreira é baiano, formado em História, com especialidade em História do Brasil, Antiguidade Clássica e Arqueologia. Divide com a esposa, Polliana Ribeiro, a paixão por viagens e curte sem frescura qualquer tipo de passeio. É louco por água e se atira de cabeça onde percebe que tem o mínimo de segurança. Destinos menos clichês são os que mais lhe atraem.

Pacotes All Inclusive - Com tudo incluso é muito mais gostoso!

Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. Ótimo post! Me senti de novo em Berlim. Ver o busto da Nerfetiti foi uma das experiências em museu que mais gostei. Impressionante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *