Museus de Berlim: Pergamonmuseum

Tido como a estrela da Ilha dos Museus, o Pergamonmuseum (Museu Pergamon) tem fama internacional e é, de longe, o mais visitado dos cinco museus da ilha. O recorde se explica pelo acervo com peças monumentais que abriga verdadeiros tesouros da antiguidade de valor cultural imensurável.

 Fachada do Pergamon Museum em Berlim

Foto: Miia Sample (CC BY-SA 2.0)

Meu conselho é que se você for à Ilha dos Museus, comece sua expedição pelo Pergamonmuseum e gaste pelo menos 3h do seu tempo explorando esse fantástico espaço cultural.

Para abrigar sua monumental coleção, o Museu Pergamon foi dividido e organizado em três distintas alas: a de coleção de Antiguidades Clássicas, o Museu de Arte Islâmica e o Museu do Antigo Oriente Médio. Na coleção de Antiguidades Clássicas, a arquitetura Greco-Romana se destaca. O Altar de Pérgamo, estrutura monumental do século II a.C. construído para Zeus na antiga cidade grega de Pérgamo (atual Bergama na Turquia) e que dá nome ao museu, não pode ser visitado pelo menos até 2020, pelo fato de que a ala onde se encontra passa por uma grande reforma.

Arte Islâmica no Pergamon Museum em Berlim

Ainda na coleção de Antiguidades Clássicas é possível conferir o Portão do Mercado de Mileto, construído no século II pelos romanos. É uma relíquia não menos impressionante. Com uma fachada de 17 metros de altura e 29 metros de largura, o portal dava acesso ao mercado da cidade antiga de Mileto (região atual da Turquia junto a Foz do Rio Meandro). Você ainda pode conferir nessa coleção exemplos da arquitetura grega e helênica no salão ao norte, onde se encontra o Altar de Pérgamo. Na coleção sobre Antiguidade Oriental, o Museu do Antigo Oriente Médio abriga uma fascinante coleção de antiguidades da Suméria, Assíria e Babilônia. São 14 salões numa área de 2 mil metros quadrados que contam mais de 6 mil anos de história oriental.

Portão do Mercado de Mileto no Pergamon Museum em Berlim

Destacam-se as cores vivas dos ornamentos e fachada da sala do trono do Rei Nabucodonosor II, a Porta de Ishtar, além da Via Processional da Babilônia. A Porta de Ishtar era um dos oito portões na muralha que cercava a Babilônia, metrópole persa que na Antiguidade Oriental  encantava a todos, inclusive Alexandre Magno (vulgo “O Grande”), que conquistou a cidade vencendo o rei persa Dario III, enquanto que a Via Processional era o caminho que levava até a porta.

Porta de Ishtar no Pergamon Museum em BerlimLeão de Ishtar na Porta de Ishtar no Pergamon Museum em Berlim

Foto: Rubén Vique (CC BY-SA 2.0)

Com milhões de artefatos encontrados nas escavações onde ficava a antiga cidade da Babilônia, como tijolos e vidros coloridos, a Porta de Ishtar e a Via Processional foram remontadas em dimensões próximas às originais.  O efeito é impressionante. É uma das grandes atrações do museu por seu colorido fantástico de beleza ímpar. Com 14 metros de altura e 30 metros de largura, a Porta de Ishtar é decorada em alto relevo com animais sagrados da Babilônia como o Leão de Ishtar, o Dragão de Marduk e o Touro de Adad.

Relíquias do Império Persa no Pergamon Museum em Berlim

Dentre os artefatos babilônicos você pode apreciar também uma maquete da Torre de Babel, o Zigurate mais famoso da Antiguidade Oriental pelo fato de ter sido citado na Bíblia num episódio do Antigo Testamento. Outro artefato interessante é a cópia do Código de Hamurabi, um conjunto de leis conhecido como um dos mais antigos da história da humanidade, escrito pelo rei Hamurabi e baseado na Lei de TaliãoOlho por olho, dente por dente”.

Fachada de Mshatta no Pergamoum Museum em Berlim

O acervo também conta com tabuletas em escrita cuneiforme, que documentam a origem da escrita. Para fechar a visita ao Pergamonmuseum, o Museu de Arte Islâmica exibe obras de arte do século VIII até o século XIX, originárias de vários lugares do mundo, com foco no Oriente Médio. Fazem parte do acervo, tapetes, artesanato, objetos decorativos, livros, dentre outros. No entanto, o que mais chama a atençao na coleção islâmica é uma fachada de pedra com 45 metros, decorada com relevos e que fez parte do Palácio Qars Mshatta. Foi um presente do sultão otomano, Abdul Hamid II, para o imperador da Alemanha, Wilhelm II.

Mihrab, um nicho de oração islamico, no Pergamoum Museum em Berlim

Uma curiosidade sobre a Ilha dos Museus é que a chanceler alemã Angela Merkel mora com seu esposo em um prédio relativamente simples, que fica em frente ao Museu Pergamon. Com fachada simples, o prédio amarelo não chamaria a atenção não fosse a presença constante de uma viatura policial e um guarda fazendo ronda permanente.

Quando abre?

O Museu Pergamon abre diariamente das 10h às 18h.

Quanto custa?

Você pode adquirir antecipadamente o ingresso por aqui por 12 euros ou comprar o Area Ticket que dá acesso a todos os museus da Ilha por apenas 21 euros. Crianças e adolescentes de até 18 anos não pagam e há descontos para estudantes. O Area Ticket é válido somente por um dia.

Outra opção é comprar o Berlin City Pass que dá direito não só aos museus da ilha como a outros museus e diversas atrações da cidade. O preço varia conforme a quantidade de dias que você escolher. Já vou avisando que é uma tarefa quase impossível visitar todas as galerias num único dia. Os museus são riquíssimos em detalhes e acervo.

Informações adicionais

Esse post faz parte da série Museus de Berlim. Saiba mais sobre outros museus de Berlim:

Os melhores museus de Berlim

Bode Museum

Pergamonmuseum

Neues Museum

Museu Judáico

Zarpo Viagens | Aguas Termais
Compartilhe este artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *