Nosso Roteiro: Vancouver

Considerada uma das cidades com melhor qualidade de vida do mundo, Vancouver oferece inúmeras opções de lazer e entretenimento. Muito gira em torno da natureza, dos esportes e da boa comida. É a cidade canadense com o melhor clima, mas também com o maior volume de chuvas, o que não vai te impedir de aproveitar a cidade, pois são chuvas bem leves. Vancouver tem um sistema de transporte público prático e eficiente, mas a maioria das atrações dá para fazer à pé. Se ligue na nossa sugestão de roteiro.

Onde se hospedar

A cidade tem uma boa diversidade de hotéis e a melhor localização é, sem dúvidas, em Downtown. Uma boa opção também é alugar casas para temporadas. No AirBnB há opções que vão desde kitnetes a casas completas. É uma boa saída para quem vai passar mais de uma semana na cidade.

Como se locomover

O transporte público em Vancouver funciona bem. Há ônibus, metrô de superfície e barco e a cidade é dividida por zonas (veja o mapa). Se for ficar um mês, compensa comprar o ticket de CAD$ 91 que te dá direito a circular livremente pela zona 1. Para a zona 2 custa CAD$ 124 e para a 3 custa CAD$ 170. O ticket único custa CAD$ 2,75 e se comprar o de 10 viagens você paga CAD$ 21. E atenção: o motorista não lhe exige o ticket. Você que apresenta voluntariamente. Mas não tente bancar o espertinho ou terá que arcar com um multa salgada: CAD$ 173

Vancouver | Mapa

Onde comer

Old Spaghet Factory – restaurante italiano bom e barato. Fica em Gastown. Decoração impecável, incluindo um bonde no meio do salão. Imperdível. A comida é maravilhosa, os pratos são grandes e o preço é bem em conta. Dica: não saia sem experimentar o mojito de morango.

Japadog – Uma versão japonesa dos cachorros quentes. Tem em quase todas as esquinas de Downtown. Não deixe de experimentar.

Vancounver | Japadog | Nosso Roteiro

Antho’s Pasta – No final da Hastings, já no início de Burnaby. Tem pastas deliciosas por preços inacreditáveis. E não se empolgue pedindo um prato só para você, pois serve muito bem duas pessoas e ainda sobra. Na maioria dos dias, há fila na porta. O restaurante é pequeno, a decoração é simples e o atendimento costuma ser super rápido. Todos os dias há um drink diferente em promoção. É só verificar no quadro localizado na entrada ou perguntar o garçom. Detalhe: apesar dos preços baixos, eles exigem uma consumação mínima de CAD$ 12 por pessoa.

Japonês All you can eat – é o equivalente ao nosso rodízio japonês aqui no Brasil. Há vários espalhados pela cidade. Você paga um determinado valor (CAD$ 11 no almoço e CAD$ 16 no jantar) e come o tanto que puder, mas eles não passam servindo. Você tem que ir fazendo os pedidos de acordo com os números do cardápio.

Passeios

Capilano Bridge – Ponte suspensa ao melhor estilo “ponte do rio que cai”. Fica dentro de um parque em North Vancouver. Custa CAD$ 30 para entrar. Há também a opção de ir a Lynn Canyon, onde não paga para entrar e também tem acesso a uma ponte suspensa um pouco menor.

Vancouver | Capilano Bridge

Deep Cove  – Eu já escrevi um post específico falando que esse é um dos lugares mais bonitos de Vancouver. É um trecho onde o mar é cercado por montanhas a ponto de ficar como um lago. A região também é rodeada por uma área verde que deixa o ambiente ainda mais encantador. Mansões completam o visual. É um excelente local para a prática de sports como o Stand Up Padle e caiaque, que podem ser alugados no local.

Vancouver | Deep Cove | Nosso Roteiro

Grouse Mountain – Praticamente dentro da cidade, é pista de esqui mais famosa da região. A entrada custa CAD$ 40 e o passeio começa em um teleférico que te leva ao topo, onde há todas as atrações do local. Há atividades tanto no verão quanto no inverno e é um dos locais onde é possível ver ursos e pássaros canadenses.

Stanley Park – O parque, uma das maiores áreas urbanas verdes da América do Norte, fica do ladinho do centro da cidade. É um convite à prática esportiva e também um incentivo, já que os canadenses estão sempre correndo, pedalando ou andando de patins.

Vancouver Aquarium  – Fica dentro do Stanley Park. Custa CAD$ 21 e tem mais de 800 espécies de animais marinhos. O destaque fica para o show dos golfinhos, focas e a baleia beluga, que na maioria dos lugares, é cobrado à parte.

Vancouver Aquarium

English Bay – A mais famosa praia da cidade, que fica bem na pontinha de Downtown. Tem um pôr do sol que é um espetáculo. Vale a pena mesmo nos dias mais frios.

Vancouver | English Bay

Gastown – Onde a cidade foi iniciada. É um trecho pequeno onde as ruas lembram bastante o estilo europeu de construção. No meio de tudo, um relógio à vapor dá um toque mais charmoso ao local que é cercado por cafés, pubs e lojas de souvenirs.

Granville Island – Lugarzinho bem charmoso da cidade, onde, antigamente ficavam as fábricas de Vancouver e hoje abriga o mercado de pescados e frutas. É um dos mais organizados e bem estruturados que já conheci. Experimente sentar em um restaurante ou bar qualquer e apenas apreciar a paisagem na beira do mar, encerrando o dia em grande estilo.

Vancouver | Granville Island

Compras

O Canadá é caro, então vá ciente de que você não vai encontrar nenhuma grande barganha. De qualquer forma, é um bom lugar para quem gosta de grandes marcas. Na hora de comprar, é bom sempre verificar a cotação do dólar americano, pois comprando no cartão de crédito, o valor é convertido pela cotação do dia.

Robson Street – lugar ideal para se esbaldar nas compras, com lojas famosas que vão desde as mais caras às mais baratas.

Metrotown – um shopping enorme com todas as grandes marcas e vários restaurantes. É o segundo maior shopping do Canadá. Não é tumultuado e fica em Burnaby (zona 2), a 20 minutos de Dowtown pelo Skytrain. É só descer na Station Metrotown e o shopping fica coladinho na estação.

Outtlet – Outra opção que não pode ser descartada: um bate volta no Outlet de Seattle (EUA). Você pode alugar um carro ou ir nas diversas excursões que são oferecidas nas agências e escolas da cidade. Seattle fica a umas duas horas de carro e o percurso é super tranquilo.

Informações adicionais

Esse post faz parte da série “O essencial de Vancouver“. Não deixe de visitar os demais artigos publicados até então:

Nosso Roteiro: Vancouver

Deep cove: Um dos lugares mais lindos de Vancouver

Capilano Suspension Bridge

Que tal experimentar um japadog?

O Aquário de Vancouver e suas 70 mil espécies

Os mendigos de Vancouver

Visitando o Stanley Park

O charme europeu de Gastown

Como usar o transporte público

Visitando Granville Island

Como ir do aeroporto ao centro

Zarpo Viagens | Família
Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. Pingback: Vancouver: o charme europeu de Gastown

  2. Renato Condotto
    31 out 2013

    Acho que faltou falar de kitsilano, a minha praia favorita no 1 mês que eu fiquei ai. Tem competições de vôlei e um piscina também. Acho bem mais bonita que English Bay.

    • Oi, Renato! Já ouvi falar maravilhas sobre Kitsilano, mas como não tive a oportunidade de conhecer, preferi não relacionar. Essa é a ideia do “Nosso Roteiro”. Pode não ser o melhor, o ideal… mas é o que recomendamos de acordo com a nossa experiência. Valeu pela dica! 🙂

  3. Pingback: O essencial de Vancouver

  4. Pingback: O essencial de Vancouver | Across the Universe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *