Rota 66: De Barstow ao Grand Canyon

Depois de dormir em Barstow, no dia seguinte saímos um pouco da rota e seguimos para Las Vegas. Antes, passamos em Baker, cidade onde fica o maior termômetro do mundo, no Vale da Morte. Esse termômetro tem 40 metros e, em 1913, marcou a mais alta temperatura da região, 56,7º C.

Baker | Maior termômetro do mundo

A região nessa área é bem deserta e vale a pena uma parada para fotos.

Rota 66 | Deserto (2)

Seguimos para Las Vegas e lá ficamos por três dias, curtindo tudo, inclusive a possibilidade de compras.

Las Vegas | PlacaFreemont Experience | Las VegasLas Vegas | Belagio | Casino

E, como já havíamos saído da rota, após Las Vegas, esticamos mais um pouco até o Grand Canyon. Seguindo pela Rodovia 93, uns 60km depois de Las Vegas, você passa pela Hoover Dam, a represa responsável pelo abastecimento de Las Vegas. Vendo a magnitude da obra dá para entender como aquela cidade sobrevive no deserto.

Hoover Dam

Menos de 100km depois, se for do seu interesse, dá para passar por Peach Springs e visitar as cavernas do Grand Canyon. Não fomos até lá, mas dizem ser um passeio bem interessante. Depois desse trecho a paisagem muda completamente. Entre Los Angeles e Las Vegas vimos desertos intermináveis. Quando fomos nos aproximando do Grand Canyon, o cenário já era de mata fechada e o calor, que estava matando em Vegas, desapareceu por completo, como em um passe de mágica.

Grand Canyon | South Rim

Escolhemos visitar a Borda Sul do Grand Canyon, conhecida como South Rim. Alí há 12 mirantes e uma série de trilhas para se fazer a pé ou de bicicleta. Optamos por fazer a pé, mas você pode fazer como o Marcelo e ir de bike.

Grand Canyon | South Rim (2)

Esse lado do parque está aberto o ano inteiro e a entrada custa US$ 30 por veículo ou US$ 15 por pessoa. Dá para comprar o ingresso na cidadezinha de Tusayan, que fica antes da entrada do parque, mas quando fomos não tinha tumulto nenhum e compramos na bilheteria do próprio parque mesmo. O ingresso é válido por uma semana, inclusive para ir à Borda Norte. Ou seja, há infinitas atividades que você pode fazer dentro do parque nesses 7 dias.

Grand Canyon | South Rim (3)

Só um detalhe; para se hospedar nos hotéis situados dentro do parque, há que se fazer a reserva com uma antecedência assustadora. Então, mais que nunca, planeje-se se você realmente faz questão de se hospedar alí. Outra opção é ficar em WilliamFlagstaff ou Seligman. Optamos por retornar um pouquinho na rota e dormir na cidade mais charmosa da Rota 66Seligman.

Rota 66 | Seligman

Seligman faz parte da pista histórica. Na verdade é uma mini-cidade que foi praticamente transformada em um museu. Tudo igual aos velhos tempos. Alí você encontra toda e qualquer referência à Rota 66. Inúmeras lojas de souvenirs, lanchonetes, hotéis típicos, casas e objetos preservados exatamente como já foram um dia.

Souvenirs em Seligman

Ali nos hospedamos no Historic Route 66 Motel, hotel confortável, bem decorado, todo arrumadinho. Tá no site oficial da cidade. Foi lá que peguei o email e fiz a reserva. Até aí tava tudo certo. Fui muito bem atendida, inclusive. Mas ao chegar ao local para o check in a coisa mudou completamente de figura. Uma senhora descabelada se levantou do sofá demonstrando toda a sua insatisfação em nos atender e nos tratou com grosseria do início ao fim.

Uma das razões da deselegância daquela senhora foi em razão do meu questionamento sobre a exigência de um depósito de US$ 200 em dinheiro para que ela nos confiasse as chaves do quarto. Falei que ela poderia fazer a cobrança de segurança no meu cartão de crédito, como é feito em todo hotel e isso só aumentou o nível de grosseria. Enfim, pagamos os US$ 200 exigidos e só pegamos o dinheiro de volta no dia seguinte depois que a outra atendente vistoriou item por item do quarto. Acho, inclusive, que havia um aviso expresso à menina quanto a minha periculosidade, já que o atendimento dela foi tão “cordial” quanto o da senhora do check in.

Historic Route 66 Motel

Então, visto minha maravilhosa experiência, sugiro que visitem sim Seligman com tempo para um café, almoço e um passeio prolongado, mas se não querem correr o risco de tanto destrato, busquem outras opções de hospedagem nas proximidades do Grand Canyon.

Aliás, um hotel em Tusayan, cidade que fica mais próxima da entrada do parque (12km), seria uma excelente pedida, mas também exige um planejamento mais antecipado. Se você não encontrar vaga lá e estiver seguindo a Rota de Oeste a Leste, como nós, o melhor é ir para Flagstaff, que é outro encanto de cidade.

No próximo post conto como foi nossa viagem entre Flagstaff e Albuquerque.

Informações adicionais

Esse post faz parte da série “Rota 66“. Não deixe de conferir todos os outros posts publicados:

Organizando uma viagem à Rota 66
Entre Los Angeles e Calico
Entre Flagstaff e Albuquerque
Nosso Roteiro: Los Angeles
Breaking Bad Tour: um roteiro para fãs da série
Visitando a cratera de um meteoro no Arizona
Como ter ligações para o Brasil e internet 3g ilimitados em viagem aos EUA

Também não deixe de ler outros posts publicados pelo Marcelo na visita dele a Las Vegas e ao Grand Canyon em 2013:

Organizando uma viagem a Las Vegas
Hospedando no The Mirage em Las Vegas
Visitando a loja de penhores do Trato Feito
Um bike tour pelo Grand Canyon
Como andar de ônibus em Las Vegas
Como são as baladas em Las Vegas


Siga o Across the Universe no Twitter: @acrosstheblog

no Instagram: @acrosstheblog

e curta a nossa fanpage no Facebook: facebook.com/acrosstheblog

 

Deixe seu Comentário

Não deixe de ler a nossa Política de Comentários.**






* Campos de preenchimento obrigatório