Como são as baladas em Las Vegas

Sabe o que me passou pela cabeça quando surgiu a oportunidade de ir para Las Vegas? Nada! Preferi deixar para descobrir quando chegasse lá. A correria do dia a dia também não me permitiu sequer traçar um roteiro prévio. Confesso que é quase um estilo meu durante as viagens: não planejo nada. Em certas situações isso pode ser um problema. Não foi o caso de Las Vegas. Planejamento não me fez falta. Não mesmo! O que faltou foi tempo para conhecer tantos lugares. Todavia, aqui vou me ater às boates que conheci, ok?

Tão logo cheguei na cidade senti como se tivesse entrado em um espiral de desenho animado. Daqueles meio alucinógenos, tamanha a quantidade de informação visual. Tudo muito colorido, imponente, brilhante, alegre. Estava ali para comemorar os trinta anos da minha irmã caçula. Um grupo de sete mulheres, com um objetivo único: diversão. Modéstia a parte sou boa em me divertir. Em qualquer lugar. Mas aquilo era o paraíso pra mim.

Baladas em Vegas | 01

Ficamos hospedadas no Luxor, aquele em formato de pirâmide. Um hotel bem legal e, assim como os demais da cidade,  cheio de entretenimento. Mas a gente queria mais. Tínhamos algumas informações sobre baladas, mas nada muito certo. Logo na primeira noite saímos andando pela Strip para nos situar e saber qual era a boa.

Enquanto andávamos apareciam homens oferecendo entradas para Night Clubs, com a promessa de que teria bebida free até um certo horário. Entramos em uma e era mentira. A entrada era free, mas não vimos bebida na faixa lá e nem lugar nenhum.

As boates

No primeiro dia decidimos voltar para o hotel e ir para a boate de lá mesmo: a Lax. Entramos sem pagar. Música boa, mas um pessoal meio estranho, tudo muito caricato. As bebidas eram caras: US$ 20 uma dose de vodka com energético, US$ 10 uma long neck, US$ 15 o whisky. Em todas as que fomos o preço era esse. Do meio da noite para frente fomos chamadas para um camarote, onde pudemos dançar mais a vontade e beber de graça até que os seguranças nos expulsassem de lá. Já era hora de fechar baby!

Las Vevas | O nível das boates e os camarotes

Na noite seguinte decidimos ir para a festa de aniversário da Hakkasan, a boate que fica dentro do Hotel MGM. Como era um dia especial, quase não conseguimos entrar de graça. Nada que um caô e uma promessa que voltaríamos no dia seguinte não resolvessem. Que lugar maravilhoso. Gigante, com quatro andares, música eletrônica animada e uma galera enlouquecida lá dentro. Neste dia o DJ Steve Aoki estava tocando. Muito legal o lugar. Para mim, o mais animado que fui.

Vídeo: DJ Steve Aoki na Hakkasan Nigh Club no Hotel MGM em Las Vegas

 

 

Um detalhe: em Las Vegas os homens te oferecerem para pagar bebidas. No começo estranhei. Aqui em Goiás isso é tão raro quanto a passagem de um cometa. Mas relaxei e aproveitei. Posso de te pagar um drink? Yes, sure!!!

Na terceira noite tínhamos conseguido com um amigo uma reserva VIP para a Marqueé, uma das melhores boates da cidade, dentro do Hotel Ária. Um lugar sofisticado, majestoso, de gente lindíssima, música ótima e ainda ficamos em um camarote com bebidas por conta. Uma noite de Divas.

Na última noite era a celebração do aniversário da Mana. Surpreendemos ela com um passeio de duas horas de limousine pela cidade, pelos principais pontos turísticos. Algo emocionante e inesquecível. Na sequência fomos para a XS, boate que fica dentro do Hotel Encore, onde o badalado DJ Steve Angello estava tocando.

Baladas em Vegas | 02

Tão linda quanto a da noite anterior, com uma única desvantagem: não nos deixaram entrar na faixa. Foi o único dia. Mas não achei caro: US$ 25. Em média não passa disso. Agora se deseja mesa ou camarote, não lhe sai por menos de US$ 600. Nessa noite já estávamos um pouco cansadas e a maioria ja voltaria no dia seguinte. Por isso, não fechei o lugar nesse dia.

Baladas em Vegas | 03

Dicas importantes de balada em Vegas

– Se não querem pegar fila, cheguem cedo. E quando digo cedo é por volta das 21h.

– Ao contrário do que nos disseram, não vi ninguém dando bebida de graça para as mulheres na rua. Infelizmente.

– Para quem viaja sozinho, ou pretende ir sozinho para a balada, não se preocupe: é super fácil se enturmar. Ao menos foi minha experiência.

– Encontrei uma turma de cariocas por lá que reclamaram que as mulheres pediam drinks. Sim, assim como eles pagam para nós, as americanas querem também que os rapazes paguem bebidas para elas.

– Concluindo: quem tem vontade de conhecer, vá! É muito bom. É uma experiência maravilhosa, diferente. E que vai dar um upgrade no seu conceito de balada boa.

Baladas em Vegas | Maisa e Millena

Fotos: Arquivo Pessoal

“Maísa Lemos é nossa irmã. Fantasia-se de advogada em horário comercial e de mãe do Davi em horário integral. Louca por música, literatura, corrida e cultura inútil dos anos 90. Com sua imaginação fértil, já percorreu todo o mundo enfrentando as mais variadas situações e perigos. Pretende agora conhecê-lo pessoalmente.”

Informações adicionais

Quer ler mais posts que vão te ajudar a planejar sua viagem a Las Vegas? Não deixe de ler os outros artigos já publicados:

Organizando uma viagem a Las Vegas

Hospedando no The Mirage em Las Vegas

Como andar de ônibus em Las Vegas

Visitando a loja de penhores do Trato Feito

Um bike tour no Grand Canyon


Siga o Across the Universe no Twitter: @acrosstheblog

no Instagram: @acrosstheblog

e curta a nossa fanpage no Facebook: facebook.com/acrosstheblog


Cupom de 15% de desconto no Seguro Viagem

2 Comentários para "Como são as baladas em Las Vegas"

  1. Joao disse:

    Maisa, qual o documento exigido para entrar em baladas?
    Eles são rigorosos quanto ao documento? Ficam olhando a foto e comparando com a pessoa?
    Infelizmente não terei 21 anos e iria tentar entrar com a CNH do meu irmão nas baladas, o que vc acha?

    • Maísa disse:

      Oi João,
      No meu caso eles pediram o documento de identificação. Não me recordo se ficaram comparando.
      Se você se parece com seu irmão e não tem cara de ser muito novinho, acho que compensa o risco.
      Abraço,

Deixe seu Comentário

Não deixe de ler a nossa Política de Comentários.**






* Campos de preenchimento obrigatório