11 coisas que você precisa saber antes de ir para a Bolívia

Todo mundo tem um amigo que já vivenciou situações inusitadas na Bolívia ou já leu sobre as viagens desastrosas de alguns blogueiros (Alguns mais que os outros – como é o caso do Breno Baldrati que fez um tour tão desgramado pela Bolívia, que fez até juras de nunca mais voltar). São os famosos perrengues, coisa possível de se acontecer em qualquer viagem, mas que costuma ser bem comum na Bolívia.  A verdade é que dificilmente você sairá ileso e terminará a viagem sem passar por nenhuma história inusitada. Mas calma! Não é nada que tire o brilho da sensação maravilhosa de se conhecer a paisagem indescritível do Salar de Uyuni.

Poeira na estrada | Tour do Salar

A minha dica é: prepare o espírito! Dessa forma você já vai ciente do que pode vir a acontecer e evita decepções. Então pesquise bastante sobre sua viagem e converse com amigos que já viveram essa experiência. No meu caso, confesso que achava que muito do que falavam da Bolívia era lenda, mas in loco vi que não é. Então o que é bom você saber antes de ir?

1 – Você não encontrará papel higiênico nos banheiros

Pode ser em banheiros públicos do aeroporto, por exemplo, pode ser nos restaurantes, hotéis e até mesmo naqueles locais onde cobram para você usar a casinha… não espere ter à sua disposição o santo papel higiênico. Esteja sempre com o seu na mochila. E se for exigente com esse item (folha dupla, macia, perfumada), leve do Brasil. Em tempo: em alguns dos banheiros onde pagamos, os responsáveis nos davam um pedaço de papel higiênico que eles enrolavam nas próprias mãos. :O

Prédio da Aduana | Imigração Bolívia

O “barraco” no meio do deserto onde funciona a Imigração Boliviana

2 – Banheiro também pode ser uma preciosidade por essas bandas

Durante o tour do salar, por exemplo, não espere encontrar banheiro nem mesmo no prédio da Imigração Boliviana (que nada mais é que um barraco no meio do deserto) e nem em nenhuma outra parada prevista no tour, com exceção do banho termal, onde tem e você paga para usar. Então tenha em mente que você vai ter que fazer suas necessidades atrás das raras moitas (que obviamente já foram usadas por milhares e estão bem fedidas), se despindo no meio daquele deserto gelado.

Abrigo | Salar

A simplicidade da pousada (que eles chamam de abrigo) onde dormimos no Salar

3 – Ducha pode ser outra preciosidade. Quente então…

Das duas noites inclusas no tour do Salar, uma não tem ducha. Simples assim. Você toma banho de lencinho umedecido se quiser manter os aromas em níveis suportáveis. Na outra, você tem que pagar 10 bolivianos para tomar uma preciosa ducha (a única do hotel inteiro) regulada em no máximo 8 minutos. Entenda que você vai ter que enfrentar uma fila, pois todos estão alí com a mesma ansiedade para se lavar naquela água quente.

4 –  Falta de estrutura turística

É notória a falta de investimento em turismo. No tour do Salar você percorre, ao todo, 1200km de estradas que estão sequer demarcadas. Não há uma estrutura de suporte junto aos pontos turísticos e nem mesmo uma regulação governamental ou mesmo segurança da área. Em Uyuni, por exemplo, entrada e saída principal do Salar, não há rodoviária.

Rodoviária Uyuni | 6 de Octubre

Sem rodoviária, o embarque de passageiros é feito na rua

Os ônibus param na rua, na porta de pontos que mais parecem um moquifo, onde funcionam as empresas de transporte. Outro detalhe é a falta de cuidado dos bolivianos com os turistas. Não fazem questão de serem simpáticos, de facilitar a vida do viajante, de ajudar. Estão sempre negando qualquer tipo de suporte.

5 – Motoristas despreparados

Assim como no trato geral, os bolivianos não têm muita consciência da importância de serem responsáveis com turistas.  Os motoristas que fazem o tour do Salar não são os mais preparados – se é que dá para se preparar com circunstâncias tão adversas como as de um deserto. O nosso, por exemplo, dormia ao volante como se fosse uma coisa corriqueira. O de uma conhecida, que foi 2 meses antes da gente, tomou um porre na noite anterior ao tour e às 9h ainda estava dando uma festa em casa, quando os turistas foram atrás do porquê do atraso de mais de uma hora no início do passeio.  O do Tiago, do Blog Rotas Capixabas, deixou eles abandonados no deserto por mais de horas depois de ter atolado o carro no meio do Salar na tentativa irresponsável de pegar um atalho. Em contraponto, temos o da Analice, que foi uma simpatia, segundo ela relatou aqui.

6 – Altitude pode atrapalhar seu passeio

Prepare o fôlego, o chá de coca e os remedinhos, mas saiba que não há fórmula certa para prevenir o mal estar. Ele pode te pegar de qualquer jeito. No Salar chegamos a 5200 metros de altitude e tivemos reações diversas (dor de cabeça, ânsia de vômito, falta de ar), mesmo alcançando essa altura aos poucos e tomando remédios.

7 – Energia é regulada

Vou dar só um exemplo: eles chegam a cobrar mais caro por uma garrafa de coca-cola, se você pedir gelada. De certo, você vai querer beber quente.

Comida Boliviana | Água

Apesar de tudo, achei a comida muito boa 🙂

8 – A qualidade da água é duvidosa

Em muitos lugares a água não é tratada. Na agência de San Pedro, onde compramos o passeio do Salar, nos recomendaram levar água mineral e usar até mesmo para lavar as mãos e escovar os dentes. Nesse ponto, eu sugiro que vocês cuidem da própria água, mas não pensem em como os bolivianos preparam a comida e tal. #tentenãoenlouquecer

9 – Limpeza precária

Em um país onde a água é duvidosa e o uso do papel higiênico não é um hábito, não dá para esperar muito da limpeza pública ou mesmo dos estabelecimentos comerciais.

Mosquito | Bolívia

Olha que enfeite bacana. Um “cata-mosquito” pendurado no teto de uma empresa de ônibus #nojinho

10 – Táxis precários e sem taxímetro

Aquela velha canseira básica que a gente encontra em vários países. Na Bolívia não é diferente. Carros velhos e sujos e a briga pelo preço. Negocie antes e só entre no táxi quando acertarem o valor total.

11 – Insegurança

Não passamos por nenhuma situação, mas ouvimos muito sobre, então não custa se prevenir.

 

E você? Esteve na Bolívia e passou por alguma situação complicada?

Conta aqui para gente.

Informações adicionais

Outros posts dessa série:

– Tour pelo Salar de Uyuni: o 1º dia

– Tour pelo Salar de Uyuni: o 2º dia

– Tour pelo Salar de Uyuni: o 3º dia

– 11 Coisas que você precisa saber antes de ir para a Bolívia

– Salar de Uyuni e Deserto do Atacama: qual a logística ideal?

– Deserto do Atacama e Salar de Uyuni: o que levar na mala?

Não deixe de ler também a série Mochilão pela América do Sul onde nossa amiga Analice Calaça conta com detalhes o seu tour pela Bolívia, Chile e Peru, incluíndo o Deserto do Atacama e o Salar de Uyuni.

Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. Bóia
    23 maio 2016

    Oi, Polliana. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

  2. Excelentes dicas, parabéns. Um problema por que passei foram os bloqueios de estrada, por conta de várias manifestações, que tornavam difícil saber se conseguiria chegar ao próximo destino. Nada que tire o fascínio que tenho pela Bolívia… adoro o país! 🙂

  3. Dicasa valiosas para quem pretende ir. Estive no Salar em 2011. Apesar do atraso para iniciar o tour, até que os perrenques não foram tantos. Nos dois dias de hospedagens tivemos banho disponível (no primeiro alojamento era até dentro do nosso quarto). No segundo era fora do quarto, mas tinha aquecido, porém pago a parte. O ruim mesmo foi a falta de aquecimento no ultimo alojamento. Dormir a temperatura negativa foi cruel. Mas valeu pela beleza do lugar.

  4. Vinicius
    21 set 2016

    Outra novidade boliviana, a qual faz o inferno dos viajantes é a norma legal de que a gasolina para placas estrangeiras custar 4 vezes mais.

    Para que o dono do posto não fique com a diferença existe um sistema de uma boletas que se preenchem.

    Todavia, o governo não distribue as boletas aos postos de combustivel…. e posto nenhum te abastece, além das filas serem imensas a cada posto.

    Os bolivianos costumam ser malandros e malvados, não cooperam e te abandonam… Ex. quando fomos ao chacaltaya, o guia turistico simplesmente quando da volta, desceu faltando um casal… apesar dos protestos, não se preocupou em deixá-los na montanha gelada ao anoitecer. Chegamos a La Paz e denunciamos à policia a agencia e o guia.

  5. Francisco Augusto Junior
    14 jan 2017

    Olá amigos
    Recentemente fiz um viagem de carro de Goiânia à Cusco no Peru!
    Voltamos pelas estradas da Bolívia ! Aff como pode um “país” isso mesmo, um País com letras minúsculas.
    Horrível!
    Não tem Posto de Combustível q abasteça os carros estrangeiros . Isso mesmo ! Não abastecem os carros estrangeiros, exceto alguns muitos raros, mesmo assim cobram 3x mais no preço.
    Um país CORRUPTO, tudo tem q dar propina, senão vc não é nada.
    Não faça rotas de carro pela Bolívia.
    Não recomento para ninguém.

  6. Gustavo Woltmann
    20 jan 2017

    Estou chocado com o fato do papel higiênico! E para as mulheres que precisam sempre, deve ser horrível. Essa é a dica mais preciosa viu.

  7. Viviane
    28 jul 2017

    Todos que conheço, que conhecem bolivianos dizem que eles não tomam banho, devido mal cheiro que exalam,se se eles querem viver aqui, tem que ter esse hábito de higiene,pois eles sofrem muito preconceito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *