Nosso Roteiro: Marrakech

A cidade vermelha, como é conhecida Marrakech, encanta pelas cores, aromas e belezas naturais. Segundo todas as pesquisas que havia feito antes de ir, em novembro de 2014, o sol seria nosso companheiro durante toda a viagem e o calor seria intenso. SERIA. Não foi o que encontramos por lá. Pegamos muita chuva e temperaturas baixas até mesmo de dia. Nossos planos de conhecer o Deserto do Saara tiveram que ser adiados, pois as rodovias haviam sido bloqueadas devido às chuvas. Problemas à parte, curtimos a cidade à despeito do tempo não muito amigável.

Marrakech é dividida por uma grande muralha. Do lado de dentro, a medina, parte velha e mais turística da cidade. Com certeza é alí onde se concentra tudo aquilo que atrai nossos olhares curiosos de turista. É tudo muito diferente para um brasileiro, por exemplo. Do lado de lá dos muros, a parte nova e moderna da cidade, com grandes lojas e restaurantes. De qualquer forma, esteja preparado para o novo. Nesse post aqui, relacionei 11 coisas que você precisa saber antes de ir para Marrakech.

Como se locomover

Se está hospedado dentro da medina, use os pés. Nada melhor que explorar bem todas as ruas e becos. Atenção porque nada é muito bem sinalizado e você nem sempre vai encontrar alguém disposto a te dar informações sem cobrar por isso. Para ir para atrações mais distantes, use os táxis. Os veículos costumam ser velhos e mal conservados, mas os motoristas cobram preços baixos. De qualquer forma, negocie o valor antes de entrar no carro.

Do aeroporto ao Centro

O aeroporto fica a 6km da medina. O táxi custa em média 150 dirhams ou 15 euros. Mas é claro que o taxista vai pedir mais, pois percebe que você acabou de chegar e presume que não tem muita referência. Barganhe! A melhor opção é entrar em contato com o seu hotel antes e solicitar o transfer para evitar cair em alguma cilada. A maioria dos hotéis oferece (alguns gratuitamente). Se não oferecer, peça que eles enviem um taxista de confiança para lhe aguardar. Assim também não tem erro.

O que ver

Para andar dentro da medina tenha sempre um mapa em mãos. Não que isso vai impedir que você se perca, mas toda ajuda é válida. Tenha sempre como ponto de referência, a Jamaa El Fna, a praça principal. Trace no mapa o caminho entre seu hotel e a praça e tenha bastante atenção, pois além dos becos confusos e da infinidade de comerciantes, o trânsito é de enlouquecer.

Medina

Antes de mais nada, aprecie a medina, a beleza das portas, paredes, portais. A quantidade de gente circulando, a diversidade de cores, aromas, sabores. Isso é Marrocos!

Praça Jamaa El Fna

Seu ponto de referência, a Praça Jamaa El Fna é onde tudo acontece. Tem um movimento impressionante, dezendas de restaurantes, lojas de souvenirs, infinitos ambulantes, várias bancas de frutas e muito (mas muito) malandro louco para te arrancar um dinheiro. De encantador de cobra a pedinte. De mico a cavalo. De suco de laranja a chá emagrecedor. Você vai encontrar de tudo aqui. Tudo.

Marrakech | Praça Jamma El Fna

No fim do dia, durante o espetáculo do pôr do sol, o movimento muda por completo. Os ambulantes somem, dando espaço para restaurantes itinerantes montados debaixo de grandes tendas. Parece uma festa. Festa essa que acontece todos os dias de domingo a domingo e que é frequentada basicamente por marroquinos. Percebe-se que não é um espetáculo para turista ver, mas sim uma tradição mesmo do povo marroquino. A praça é tão impressionante que em 2008 foi declarada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Souks

São os mercados de rua que ficam dentro da Medina. Fazer compras alí é mais do que escolher e pagar pelo produto. Há todo um processo que muitas vezes acaba sendo cansativo. Você terá que negociar o valor, pois eles sempre colocam um preço bem acima do normal esperando a sua contraproposta. Para resumir e tornar a coisa menos cansativa, tenha em mente o seguinte referencial: tudo custa ao menos metade do valor inicial que o vendedor propõe.

Marrakech | Souks 2Marrakech | Souks 1

Uma dica: se não está interessado, não fique passando a mão, questionando o material, a procedência. Eles não curtem muito isso. Mas, por outro lado, também não ficam laçando cliente nos corredores oferecendo algo que você nem sequer mostrou interesse. Mesmo que não queira comprar nada, entre nos souks para entender como funciona o mercado deles. É impressionante a variedade de produtos e forma como eles dispõe as peças para venda.

Mesquita Koutoubia

De vários pontos da medina você consegue ver o topo da mesquita mais famoso de Marrakech, a Koutobia. Fica na saída da Praça Jamma El Fna. Como expliquei aqui, ela não é aberta ao público não muçulmano, mas vale uma visita à praça e também ao jardim, que fica atrás da mesquita.

Marrakech | KotubiaMarrakech | Kotubia 2

Tumbas Saadianas

Mausoléu construído no final do século XVI para abrigar os corpos dos falecidos reis saadianos. É fechado e a entrada custa 10 dirhams. Os túmulos são rodeados por jardins bonitos e bem conservados. Tem tanto gato no local que fiquei por entender. Vale a pena conhecer a estrutura monumental do local.

Marrakech | Tumba Saadinas 1Marrakech | Tumba Saadinas 2Marrakech | Medersa 3

Medersa Ben Youssef

Dizem ser a mais bonita do Marrocos. Não conheci muito para ter parâmetro, mas é certo que essa me impressionou bastante. O local é lindo e mostra um pouco sobre como viviam os meninos que estudavam nessas escolas. A arquitetura é linda e os mosaicos são impressionantes. Dizem que até bem pouco tempo ainda tinham alguns móveis originais, mas agora não tem mais nada. É um prédio vazio. A entrada foi inflacionada e o ingresso que dá direito a visitar a Medersa e o Museu Dar si Said custa 60 dihrams.

Marrakech | Medersa 2Marrakech | Medersa 1Marrakech | Medersa 3

Museu Dar si Said – Museu de artes de Marrakech

Fica ao lado da medersa, mas ainda assim pode parecer difícil de achar. O acervo do museu é um pouco pobre, mas vale a visita pela arquitetura.

Marrakech | Museu Dar si Said

Jardins de la Menara

Apesar do local ser conhecido como jardim, funciona mais como um pomar e uma plantação de oliveiras. Não há sombra no local e pouco lugar para sentar. O que atrai as pessoas até o local é a vista que se tem das Montanhas Atlas. Não à toa o jardim é um dos cartões postais da cidade. Um lago artificial e um pequeno palácio (que dizem ter sido usado pelos sultões e suas concubinas) também fazem parte desse cenário. No fundo, as impressionantes montanhas cobertas por neve. Ao lado do portão do Jardim você encontra vários camêlos disponíveis (em troca de alguns dihrams) para uma foto.

Marrakech | Jardim de la menara 1Marrakech | Jardim de la menara 2

Gueliz e Ville Nouvelle

Parte nova da cidade onde você vê grandes lojas, shoppings, Mc Donalds com letreiro árabe, carros modernos e roupas mais “normais”.

Onde comer

Em geral, as refeições em Marrakech são baratas e deliciosas. Gastamos em média 15 euros para o almoço para duas pessoas em restaurantes localizados em pontos turísticos. No primeiro momento é comum você estranhar a comida, já que visualmente ela não é lá muito atraente. Mas deixe o preconceito de lado e experimente! Você vai amar. Para aqueles que comem com os olhos, cuidado para não passar fome. O melhor é render-se logo ao tempero marroquino. Não deixe de experimentar pratos típicos com o Cuzcuz e o Tajine. Abaixo alguns dos restaurantes que experimentamos. Todos ficam na Praça Jamma El Fna.

Bar Balcony

Esse me pareceu que tem a melhor vista. Tentamos entrar para almoçar e assistir o espetáculo do fim do dia na praça, mas fomos barrados quando tentávamos sentar à mesa. Grosseiro, o garçom disse que tínhamos que pagar 20 dihrams para entrar. Argumentei que íamos almoçar, ele disse que precisávamos pagar ainda assim e adiantado. Achei ridículo e procurei outro restaurante.

Les Premices

Ao desistirmos do Balcony, seguimos para o Les Premices e ficamos no andar de cima, de onde também se tem uma maravilhosa vista da praça. Excelente local para fotos. O atendimento é bom, o cardápio é bem variado e os preços são justos. Pagamos 148 dihrams (15 euros) por 1 petisco + 1 pizza média + 2 cocas + 1 Espaquete e 2 chocolates quentes.

Marrakech | Le premices

Café France

Bastante recomendado, achei o Café France decadente. O cardápio não tem muita opção, o ambiente me pareceu meio sujo e os preços estavam acima do normal da cidade. A comida, no entanto, estava boa. Tem um terraço na parte de cima, mas não está em uma localização tão privilegiada.

Marrakech | Café France

Restaurant 7 Saints

Limpo e organizado. Atendimento impecável. Dois pratos (1 Tajine de frango e 1 espaguete a carbonara) e 2 cocas nos custaram menos de 100 dihrams (10 euros).

Marrakech | 7 saints

Café Glacier

Recomendação da Adriana Miller, do Dri Everywhere. Segundo ela, é o Café que tem a melhor vista da praça e do sol se pondo atrás da mesquita Koutobia.

Onde se hospedar

Nos hospedamos dentro da medina mesmo, no Riad de Vinci, uma experiência bem marroquina mesmo. Adoramos! Relatei os detalhes da nossa estadia nesse post aqui.

Marrakesh | Quarto do Riad de Vinci

E no Booking você irá encontrar outras excelentes opções de hospedagem em Marrakech, sem taxas adicionais e ainda com cancelamento grátis.




Booking.com

Informações adicionais

Idioma: árabe
Moeda: Dirham – 1 euro equivale a 10 dirhams em novembro de 2014.

Exigências

Visto: não há necessidade de visto para brasileiros.
Vacina: não exigem nenhuma vacina.
Seguro Saúde: não é obrigatório, mas é sempre bom ter. Ainda mais em um país diferente. Faça uma cotação aqui com 15% de desconto.

Veja os posts já publicados sobre Marrocos:

É seguro viajar para o Marrocos?
11 coisas que você precisa saber antes de ir para o Marrocos
Dica de Hospedagem em Marrakech

Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. O Marrocos foi uma dos países que mais gostei de visitar. Quanto ao transporte, fica a dica de tomar muito cuidado se for alugar carro. Como os taxis, os carros também não são bem conservados e a sinalização, seguindo o padrão do trânsito local, é bem confusa. Durante a viagem um dia erramos o caminho e fomos parar na parte mais antiga de Marrakesh tendo que passar em vielas junto com carroças, animais, etc! Mega estresse!

  2. catia
    27 out 2016

    Olá, estou super interessada em conhecer Marrocos, mas ainda tenho algumas dúvidas quanto: que festas eu poderia conhecer? existem lugares com danças típicas em que turistas podem ter acesso? quanto de recursos financeiros eu teria que me dispor nesta viagem? para compras, alimentação, transportes, etc?

    POderiam me responder? gostaria de fechar esta viagem para janeiro/2017.

    Obrigada.
    cel 11 9 9498-9101

    • Oi, Cátia. Realmente não sei que festas você poderia conhecer em Marrocos, pois não fui a nenhuma. Sobre os gastos da sua viagem, isso é MUITO relativo, visto que eu não sei nem quantos dias você pretende ficar lá. Em geral, o que posso te dizer é que Marrakech relativamente em conta, tanto a hospedagem, a alimentação e o transporte.
      Espero ter ajudado!

  3. catia
    27 out 2016

    Olá, estou super interessada em conhecer Marrocos, mas ainda tenho algumas dúvidas quanto: que festas eu poderia conhecer? existem lugares com danças típicas em que turistas podem ter acesso? quanto de recursos financeiros eu teria que me dispor nesta viagem? para compras, alimentação, transportes, etc?

    POderiam me responder? gostaria de fechar esta viagem para janeiro/2017.

    Obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *