Mochilão pela América do Sul: a chegada em Uyuni

Chegamos a Uyuni de madrugada. Era o primeiro local onde não tínhamos nenhum hotel reservado e nada planejado. Estávamos completamente sem rumo. A pequena cidade não tem rodoviária e o ônibus para numa pequena ruazinha, onde é feito o desembarque. Foi o nosso primeiro contato com o frio. Certamente, uma das madrugadas mais geladas que enfrentamos até então. Mal sabíamos o que nos esperaria no deserto.

No desembarque, nos deparamos com uma fila de táxis. Negociamos rapidamente a corrida com dois taxistas, pois tudo o que queríamos era um local para nos abrigar do frio intenso. Além disso, duas das meninas estavam passando muito mal por causa da altitude. Eles nos levaram aos principais hostels, mas vários deles já estavam ocupados. Depois de rodar muito pela madrugada gelada, finalmente achamos um lugar disponível. O hostel não era dos melhores, mas só queríamos fugir do frio e esperar amanhecer para procurar uma agência que fizesse o passeio ao Salar de Uyuni.

A cidade de Uyuni

Contratando o passeio

Pela manhã fomos procurar a agência, tínhamos uma lista das agências recomendadas e não recomendadas. O legal é que como estávamos em sete (a Tami se juntou a nós nesse trecho da viagem), poderíamos fechar um carro só para gente (geralmente eles fecham um jipe 4X4 com seis a sete pessoas, mais o motorista). Considerando três dias inteiros dentro de um carro, esse é um aspecto crítico da viagem. Se as companhias não forem agradáveis, pode rolar um certo estresse, como lemos em muitos dos relatos.

Outro ponto importante, é que o turismo ainda está se desenvolvendo na região, então, ainda há muita desorganização. O que mais temíamos era pegar um motorista imprudente. A gente leu muitos relatos de pessoas que pegaram motoristas bêbados, que corriam muito e que ocasionaram vários tipos de acidentes.

Nós fechamos com a primeira agência que entramos, a National Expedition*. Eles passaram muita confiança e responsabilidade e como estávamos em muitas pessoas, conseguimos negociar um bom preço: 670 bolivianos para cada (cerca de R$ 245 reais) pelo pacote com o transporte, todas as refeições, a hospedagem e o transporte da fronteira da Bolívia até San Pedro do Atacama, no Chile. Marcamos de sair às 11h, então, antes disso, fomos procurar um lugar para tomar café e fazer as últimas compras, incluindo remédios, comidas e itens adicionais para o frio, como luvas e gorros, pois nossa experiência da noite anterior havia sido traumática. No próximo post conto como foi o nosso primeiro dia no Salar de Yuni.

Uyuni | Bolivia

* A National Expedition “Huanchaca” fica na Calle Colon entre Calles Arce e Sucre, Uyuni. Para entrar em contato: turismohuanchacabolivia@gmail.com

Informações adicionais

Esse post faz parte da série “Mochilão pela América do Sul: Bolívia, Chile e Peru“. Não deixe de conferir todos os outros posts publicados:

Mochilão de 25 dias pela América do Sul: Bolívia, Chile e Peru

A passagem por Sucre

A chegada em Uyuni

O primeiro dia no Salar de Uyuni

O segundo dia no Salar de Uyuni

-O terceiro dia no Salar de Uyuni

– Deserto do Atacama

Arequipa

Cusco e Machu Picchu

– Copacabana e La Paz

Seguro Viagem com 40% de desconto - Cupom de Desconto - Black Friday

Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. Pingback: Mochilão pela América do Sul: a passagem por Sucre

  2. Oi Analice!
    Vou pra Uyuni em Maio e estou procurando relatos de outros blogueiros, porque é um destino polêmico.
    Vi que você ainda não terminou os posts, mas pelo que percebi gostou da agência que fez o passeio do Salar com vocês né?
    Foi o de 3 dias?
    Até agora foi uma das poucas indicações boas que tive. Anotei!
    Fico esperando o restante do seu relato!

    bjbj

    https://www.stheontheroad.com.br

    • Analice
      13 fev 2015

      Oi Sthefania. Tudo bem?
      Nós adoramos essa agência. E, absolutamente, não tivemos do que queixar. O Felipo foi super responsável (o nosso maior receio era em relação a isso). Grande parte dos relatos que líamos falava sobre a imprudência dos motoristas, com casos de acidentes graves ou de motoristas alcoolizados. Felizmente, deu tudo certo! O passeio que escolhemos foi o de três dias, geralmente é o mais comum. E aí você pode escolher se quer voltar para Uyuni ou se quer seguir para San Pedro (que foi o nosso caso).

  3. Pingback: Mochilão de 25 dias pela América do Sul: Bolívia, Chile e Peru

  4. Pingback: Mochilão pela América do Sul: Cusco e Machu Picchu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *