Murdoch James: Visitando uma vinícola na Nova Zelândia

A Nova Zelândia é a região produtora de vinhos mais isolada do planeta. Embora a produção não seja muito expressiva (apenas 2% do consumo mundial), a qualidade alcançada por seus vinhos em um curto espaço de tempo garantiu ao país prestígio mundial. A produção, que começou nos anos 70, triplicou nos últimos 10 anos, sendo que o forte são os vinhos brancos, em especial Sauvignon Blanc e Pinot Noir.

Murdoch James - Vinhedos

Vinhedos de Murdoch James

Não sou entendedora, como já falei aqui, mas simplesmente me encantei com a leveza dos vinhos fabricados na Nova Zelândia. E foi com muito interesse que visitei a vinícola Murdoch James localizada em Wairarapa’s, uma das oito regiões produtoras de vinho do país. A proximidade com a capital, Wellington, (1h20 de carro) faz da vinícola um dos destinos mais populares.

O tour, que deve ser agendado com antecedência através do telefone (06 3069165) ou email (info@murdoch-james.co.nz), dura cerca de 1h30 hora e custa 35 dólares neozelandeses (aproximadamente 58 reais).

A vínícola é de propriedade de uma família, e são eles mesmos que comandam o tour de uma forma bem descontraída e descomplicada, dando espaço a todas as perguntas e interações, como uma conversa entre amigos. Ainda na recepção do prédio sede da vinícola, é servido um vinho, o guia pega uma cesta com outras garrafas e leva o grupo para o vinhedo, onde é iniciado o tour com todas as explicações possíveis e imagináveis.

Murdoch James - A propriedade

Mesmo que você seja um entendido ou totalmente desentendido de vinho, a promessa da vinícola é adaptar o passeio aos interesses de cada um. Alí, o guia explica sobre o tipo de solo e clima e revela que a produção é feita apenas uma única vez por ano, devido aos impedimentos climáticos. Toda as frutas são colhidas manualmente, cacho por cacho e os pássaros, os maiores inimigos da vinícola, são assassinados a tiros assim que se aproximam da plantação. 🙁

Murdoch James - Guia no Vinhedo

Já na adega, o guia explica sobre as diferenças na produção do vinho branco e do tinto e o processo de clarificação. Como o vinho turvo não é bem visto, eles usam a clara de ovo para clarificar o vinho branco. Já no vinho tinto o segredo é bexiga de peixe esmagada. E nem dá para ficar com nojo, porque o resultado final é fantástico e nesse momento você já está com quatro maravilhosas taças de vinho na cabeça.

Murdoch James: O Guia

Em uma das muitas piadinhas, o guia explica que o bagaço da uva é dado às vacas e que é comum encontrar algumas bem alteradas no pasto. 😀

O tour é finalizado na caverna subterrânea, onde a bebida fica armazenada em barris de carvalho francês. Para aumentar a umidade, eles jogam água no chão desse cômodo, deixando os barris inchados e as rolhas mais fixas. Já nas garrafas para o cliente final, são usadas tampas de ferro, pois segundo explicação do guia, como a produção do país é pequena, os preços das rolhas de cortiça não são competitivos.

Murdoch James - Caverna Subterrânea

Para fechar com chave de ouro, recomendo almoçar no próprio restaurante da vinícola, Bloom, que tem um cardápio com pratos a partir de 22 dólares neozelandeses.

Murdoch James - O restaurante por dentro

O restaurante por dentro

Após o almoço, explore a propriedade que é belíssima e costuma sediar diversos casamentos. Aliás, mais informações sobre os casamentos na vinícola estão aqui.

Murdoch James - Fotos de casamentos

Fotos de casamentos realizados por lá

Na recepção da vinícola é possível comprar vinhos que são acondicionados para viagem em uma embalagem super prática e reutilizável, forrada com plástico bolha. Os vinhos também são comercializados através do site, mas são entregues apenas na Nova Zelândia (infelizmente!).

A vinícola Murdoch James fica aberta todos os dias entre 11h e 17h.

Mais sobre vinícolas

Se você curte turismo em vinícolas, não deixe de ler outro post falando sobre nossa experiência ao visitar a Concha y Toro em Santiago do Chile.

Informações Adicionais

Gostou deste post? Não deixe de ler os demais artigos publicados aqui no blog sobre Wellington na Nova Zelândia. 😉

Um tour no Parlamento Neozelandês

Um passeio pelo mar da Nova Zelândia

O Jardim Botânico

Museu do Cable Car

Andando de Cable Car

Sugestão de roteiro por Wellington

Museu City & Sea

Seguro Viagem com 40% de desconto - Cupom de Desconto - Black Friday
Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. Pingback: Santiago: Visita a vinícola Concha y Toro

  2. Polliana

    Adorei o seu relato.. Estivemos em Wairarapa visitando algumas vinicolas mas não chegamos a visitar esta em particular.. Esta anotadinho para a proxima viagem..
    Bjs

    • Oi, Oscar!!
      Obrigada pela visita!
      =D
      Fiquei bem empolgada com a Nova Zelândia e espero um dia voltar com tempo.

  3. Pingback: Wellington: Um tour no Parlamento Neozelandês

  4. Pingback: Wellington: Um passeio pelo mar da Nova Zelândia

  5. Pingback: Sugestão de roteiro por Wellington

  6. Pingback: Wellington: O Jardim Botânico

  7. Pingback: Vinhos da Nova Zelândia – Wairarapa: A terra dos melhores Pinot Noirs da Ilha Norte da Nova Zelândia | MauOscar Blog de Viagens

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *