Buenos Aires: O cemitério da Recoleta

Bom, depois da frustração de não ter conhecido uma Apple Store, saquei meu mapa de metrô obtido no Centro de Informações Turísticas de Buenos Aires e olhei qual era a melhor rota para ir a Recoleta e qual a estação mais próxima de onde eu estava. Recomendo a quem for a Buenos Aires já retirar todos os mapas possíveis no aeroporto mesmo. Eles são uma mão na roda! Mas enfim, da estação do Retiro eu peguei um táxi e cheguei ao famoso Cemitério da Recoleta.

Pode parecer bizarra e mórbida essa visita, mas este cemitério é um museu de arte a céu aberto. Os mausoléis de mármore, granito preto e bronze e ainda enfeitados com anjos de pedras e imagens da Virgem Maria por todos os lados são a atração principal. E é lá também que estão enterradas celebridades argentinas como Carlos Gardel e Evita Peron. O cemitério é cheio de turistas por todos os cantos e de todas as partes do mundo. E foi seguindo um grupo de turistas estrangeiros que cheguei ao túmulo mais procurado, o de Evita.


Um vídeozinho para dar mais ação as imagens

Mas o que mais me chamou a atenção neste cemitério é a forma que as pessoas são sepultadas e dispostas nos seus mausoléis. Elas não são enterradas, o caixão é simplesmente colocado em local de destaque dentro daqueles imóveis vitalícios, vejam só:

E depois de um certo tempo, para viabilizar mais espaço, já que os mausoléis geralmente são para a família toda, os restos mortais são transferidos para caixinhas que são guardadas em locais de igual destaque:

Essas fotos eu fiz através das portas de vidro. Sim! portas de vidro. As famílias mais abastadas não costumam economizar nem um pouco na construção de suas moradias eternas, vejam só:

Fala se não parece que tem até ar condicionado?

Uma das ruas do cemitério


Imagens Sacras

Enfim, por mais bizarro que possa parecer, fazer turismo em cemitérios é algo interessante. É sério! Não deixem de visitar o Cemitério da Recoleta quando forem a Buenos Aires.

E aproveitem para conhecer também na Recoleta o Museu Nacional de Belas-Artes e a Basílica de Nossa Senhora do Pilar (a primeira igreja de Buenos Aires), ambos eu não visitei por falta de tempo e disposição.

Compartilhe este artigo!

Comentários

  1. Anonymous
    18 abr 2010

    Me ajudo num trabalho, brigado.

  2. Anonymous
    16 set 2010

    Carlos Gardel nao foi enterrado na recoleta, evita sim.

  3. Pingback: Restaurante El Gaucho: Minha última aventura gastronômica em Buenos Aires | Across The Universe

  4. Pingback: Buenos Aires: Freddo, Bodies The Exhibition e a Apple Store fake | Across The Universe

  5. Pingback: Buenos Aires: City Tour de bicicleta com a La Bicicleta Naranja | Across The Universe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *